quinta-feira, 26 de setembro de 2019

PGBL ou VGBL: Qual a melhor opção de Previdência Privada?

Autora: Julia Stano De Luca

Imagem Unsplash

Quando se fala em Previdência Privada, a maioria das pessoas tende a pensar que é somente um tipo de aposentadoria privada. Em outras palavras, muita gente ainda acha que este investimento é similar ao INSS, a tradicional previdência oficial.

Contudo, este produto financeiro vai muito além do que apenas garantir um complemento - ou mesmo um substituto - para a aposentadoria oficial, pelo INSS.

Como já estávamos comentando, adquirir um plano de Previdência Privada é investimento. E podemos dizer isso porque este produto financeiro serve para concretizar muitos outros objetivos, além de uma aposentadoria confortável. A gente dá ideias de como usar o dinheiro, após o resgate:
  • Aposentadoria confortável;
  • Compra de um imóvel;
  • Pagamento dos estudos dos filhos;
  • Abrir um negócio próprio e empreender.
Ou seja, após a fase de acumulação (conforme o investidor aporta o valor acordado mensalmente), é hora da fase de resgatar. E nessa fase é que ele irá optar pela tradicional aposentadoria, se optar por receber os valores por mês, como se fosse um salário; ou resgatar o valor integral, podendo realizar algum dos outros sonhos, como os do exemplo acima.

Aí, antes de contratar um plano, chega o momento de decidir qual a melhor opção de Previdência Privada: PGBL ou VGBL.

Sim, é que existem estes dois tipos de planos, e a maior diferença diz respeito ao Imposto de Renda, especialmente porque a Previdência Privada é uma despesa dedutível, ou seja, ela pode abater da base de cálculo para a hora de encontrar o valor a ser pago para a Receita Federal.

Antes de prosseguir com a leitura, vale lembrar que somente o investidor poderá decidir qual o melhor plano para ele, uma vez que ele terá que ponderar qual se adequa melhor às suas necessidades. Não tem resposta errada, o que interessa saber, desde já, é que vale a pena investir num plano de Previdência Privada.

PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre)


É o plano mais indicado para quem costuma declarar seu Imposto de Renda pelo modelo completo, pois é possível conseguir o abatimento de até 12% da renda tributável anual, desde que o investidor também contribua com a previdência oficial. 

Vale lembrar, também, que, no momento do resgate, apesar de acontecerem estas deduções ao longo dos anos, o Imposto de Renda devido será cobrado. 

VBGL (Vida Gerador de Benefício Livre)


Já quanto ao plano VBGL, a indicação é para os contribuintes que são isentos de declararem os seus Impostos de Renda ou que o fazem pelo modelo simplificado, porque não há incidência de Imposto de Renda sobre os aportes, apenas sobre o rendimento. 

O termo "Vida", na sigla, indica relação quanto ao patrimônio do investidor, ou seja: este plano permite que se possa incluir beneficiários, sendo que, portanto, em caso de morte, o benefício não integra o espólio e o resgate dos valores fica mais acessível.

Outros aspectos a serem considerados: as taxas de administração, a idoneidade da empresa a ser contratada, qual a taxa de juros para rendimento dos seus aportes o plano oferecerá. 

Com todos estes dados na mão é só tomar a decisão de onde adquirir o produto, pois você, agora, já conhece quais as diferenças entre PGBL e VGBL e pode realizar uma escolha consciente, focando na realização dos seus sonhos. 

Este é um artigo da Leoa que ajuda os contribuintes a lidar com o Leão (Declaração de Imposto de Renda).

12 comentários :

  1. nenhum dos dois
    ambos são furada
    prefiro ações + fii

    abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Scant.

      Pois é, cada um acha o que é melhor para si.

      Abraços!

      Excluir
  2. Não sou fã de nenhum desses planos, mas conheço investidores que os utilizam para abater o imposto. Como não estou nesse nível de abatimento ficarei fora deles.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, CdH.

      O Aportador Financeiro faz isso.

      Abraços!

      Excluir
    2. Eu também faço isso com meu PGBL e aplico no limite da restituição do IR, nada além disso. Minhas PP são hoje 22% da minha carteira e tendem diminuir este percentual ano a ano, devido aos atuais aportes pequenos. Porém, tem uma parte da história que pode muito melhorar: migrei as previdências para fundos multimercado meses atrás, antes meu perfil era 100% de PP em renda fixa.

      Vendo a queda da curva de juros, me antecipei e sai fora de 100% em RF. E fiz muito bem, minhas PP voltaram a render bem melhor. Sendo 22% da minha carteira, e já tendo eu 19% da carteira só de renda fixa, valia a pena arriscar mais.

      O VGBL não paga ITCDM em caso de morte do contratante e na transferência do dinheiro aos filhos.
      https://www.conjur.com.br/2019-jun-12/tj-rj-proibe-cobranca-itcmd-previdencia-privada-vgbl

      Já o PGBL, paga e alguns estados estão cobrando até absurdos 8% de imposto sobre o valor total.
      http://www.msv.adv.br/artigo/a-cobranca-do-itcmd-nos-planos-de-previdencia-privada-pgbl-e-vgbl/

      Isso é algo a se pensar.

      Excluir
    3. Olá, HM.

      Pois é, sempre tem algo a olhar. Esse negócio de ficar pagando imposto para todo lado ferra o cara.

      Abraços!

      Excluir
  3. VGBL só pra fins de sucessão

    PGBL só mesmo no limite dos 12% e no padrão regressivo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, GM.

      Pois é, para alguns esse tipo de previdência é boa para algumas pessoas.

      Abraços!

      Excluir
  4. Eu sempre tive PGBL quando trabalhava no Brasil por dois motivo: abatimento do IR (até 12% rendimentos anuais) e a contrapartida de 100% das empresas que trabalhei!

    Para mim valeu muito a pena. Um ano antes de vir para O Canada parei de contribuir para reduzir um pouco a média do IR que teria q pagar no resgate pois estava no regime de tributação Regressivo.

    Abs!
    www.executivoinvestidor.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ei.

      Que bom que era bom para ti. Algumas pessoas não gostam, mas pelo que vejo é bom para alguns.

      Abraços!

      Excluir
  5. Ficando atento para a as taxas de administração e taxa de carregamento, é um produto muito bom, no limite de 12% de sua renda. Eu tenho um PGBL da Vitreo (acho que a taxa é de 0,90%/ano).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, BI.

      Taxa de carregamento e adm. são umas das coisas que atrapalha. Eu mesmo já saí de uma previdência complementar por causa disso.

      Abraços!

      Excluir