terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Colocar filhos no mundo para sofrer

Eu já pensei em ter filhos há alguns anos, mas depois com ao passar dos anos a minha pretensão de colocar filho no mundo é zero. O que é pregado na sociedade é que a gente deixe um herdeiro. Deixar um descendente. Acho isso besteira.

Sei que qualquer pessoa saudável está sujeito a ter filhos com problemas ou mesmo ter problemas durante a vida, mas não vou entrar nessa questão.


Talvez o relato que vou falar aqui seja pesado para algumas pessoas, mas mesmo assim vou dar minha opinião sobre isso. No meu ponto de vista, uma pessoa deve-se analisar quando for colocar alguém no mundo. É muito triste ver pessoas sofrendo por aí por irresponsabilidade dos pais.

Tenho um colega casado que tem alguma deficiência física, um dia ele falou que tem outros problemas e que isso foi herdado. Como a maioria das pessoas que casam, a pretensão é colocar um filho no mundo com o objetivo que sua geração dure por muitos anos.

Esse colega tem um filho pequeno, mas eles vivem nos hospitais, pois o filho só anda doente. Nasceu com algumas deficiências e sofrem muito com dores. Ele mesmo falou que tem dó de seu filho, pois sabe que ele vai sofrer muito. Inclusive esse colega trabalha em tempo reduzido por ser deficiente e sofrer com algumas dores.

Agora é que meu questionamento vem. Se eu sei que eu tenho uma doença que é hereditária e que se eu tiver algum filho ele vai sofrer com isso. Por que colocar um indivíduo no mundo para sofrer? No meu ponto de vista isso é egoísmo, é falta de responsabilidade.

Sei que muita gente fala: "vai que cola" ou "tem a chance de nascer sem doenças por causa do outra pessoa saudável", mas se as chances estão tudo para dar errado, então nem é melhor nem arriscar. Essa é minha opinião.

Abraços,
Cowboy Investidor

46 comentários :

  1. Fala cowboy, esse tema é polêmico.
    Durante muito tempo as pessoas tiveram filhos à rodo. A duas gerações atrás era comum casais com 5, 6, 7, 10 filhos ou mais.
    Hoje essa tendência se inverteu, da classe média pra cima se tem poucos filhos, só as pessoas mais pobres é que ainda tem uma média de filhos mais alta.

    Não há como a humanidade continuar crescendo no ritmo exponencial que vinha vindo, nosso planeta tem recursos limitados.
    Acho que o principal requisito para se ter filhos é a responsabilidade, quem realmente é responsável vai pensar bem antes de ter um filho.
    O que pega é que ainda tem muita gente que não pensa. Ou faz filho na empolgação (se é que me entende).
    Vejo também um novo fenômeno: Mulheres de classe média, com bom grau de instrução engravidando antes de ter um compromisso "serio" com o pai da criança. As mulheres engravidam e separam dos parceiros com quem muitas vezes apenas "ficavam" e quem acaba criando realmente a criança é a avó.

    E como disse são mulheres adultas com condições financeiras e de instrução razoáveis, não são aquelas típicas mães solteiras do passado, geralmente pobres e semi analfabetas.

    A nossa sociedade está mudando muito, principalmente dos anos 70 pra cá.

    Pra finalizar acho que se deve ter filhos quando a pessoas tem um mínimo de condições financeiras e principalmente maturidade pra isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anônimo.
      Obrigado pelo comentário.

      A condição financeira é essencial.

      Abraços.

      Excluir
  2. Se houvesse responsabilidade dos futuros pais, com a racionalização de - pelo menos - o mínimo para a criação dos futuros filhos, não tenho dúvidas de que a taxa de nascimentos iria reduzir 80% em nosso país.

    Veja que em países onde as pessoas possuem uma visão um pouco mais realista dos custos inerentes aos filhos, a taxa chega a ser zero. Obviamente isto é preocupante, visto que afeta a produção econômica e a questão previdenciária, mas isto é assunto para outro post.

    Abração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá TR,

      Isso é verdade.
      Aqui estamos longe de chegar nesse patamar.

      Abraços.

      Excluir
  3. Penso muito no assunto de ter filho. Será que vale a pena? Cada dia mais as pessoas são influenciadas pela mídia e ideologias de massa... Quem garante q um filho meu nascerá inteligente e forte para não embarcar nisso? Não gostaria de ter um filho que vai ferrar mais com o mundo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é SB,

      Não temos garantia de nada. Ouço muito gente falando em ter filhos para cuidar deles na velhice. Acho isso uma canalhice.

      Abraços.

      Excluir
  4. Meu pensamento é completamente diferente. Acho que se a pessoa acredita apenas no mundo material, nessa vida aqui terrena, realmente faz todo o sentido seu pensamento. Afinal, a lei da sobrevivência nos dia: foge da dor, busca o prazer. Entretanto, se a pessoa é cristã, no meu caso católica, ela acredita em uma coisa chamada CÉU. Isso quer dizer que cada filho, mesmo que tenha um problema, é uma alma que Deus coloca no mundo, que podemos com nossa paternidade, educá-las para ir para o céu. Então o sofrimento passa a ser visto como algo relativo. Não como algo bom, não como algo querido, mas algo visto por outro ponto de vista. Pois a vida é um bem em si mesmo. E o fim da vida é o céu. O seu pensamento em última instância leva a defesa do aborto, que nada mais é que assassinato, se for assassinato de deficientes, o nome é eugenia. Vejam os argumentos dos abortistas, são argumentos egoístas, alguns chegam a dizer que se a mãe vai sofrer por causa do filho, deve abortá-lo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem falou em aborto? Quem defendeu aborto?

      Não viaja amigo. Não querer ter filhos é totalmente diferente de ser a favor do aborto.
      E paternidade responsável é uma atitude cristã.

      Excluir
    2. Você está doente anon. Procure tratamento. Burrice terminal.

      Excluir
    3. Anôn 17:07, você fez uma boa reflexão no início. Sou cristão e penso como você.

      Só não creio que alguém que não queira ter filhos automaticamente defenda o aborto. São outros 500.

      Excluir
    4. Olá Anônimo.

      Eu não defendo o aborto, mas não defendo uma pessoa colocar filhos no mundo só porque ela é cristã. Qual a garantia que ela vai ter uma vida no céu? É muito triste ver pessoas sofrendo por causa de pais irresponsáveis.

      Abraços.

      Excluir
    5. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk onde se fala em aborto na postagem?

      Não ter filho aqui é tratado no sentido de planejamento, de não querer constituir família e de viver em "carreira solo", usar contraceptivos, gozar fora, vasectomia, etc.

      Excluir
  5. Concordo e discordo. A parte do egoismo eu concordo 100%. Existe tanta criança buscando adoção...
    Agora na parte do legado, acho que deve ser feito com responsabilidade, mas deve ser feito! (caso a pessoa queira, óbvio! rs)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Enriquecendo.

      Excelente comentário. Esse negócio de legado é complicado. Conheço pessoas que destruiu o legado dos seus pais em poucos anos.

      Abraços.

      Excluir
  6. Cowboy, bem polêmico esse tema.

    Hoje eu não penso mais em ter filhos. Digo hoje pois não sei se mudarei meu pensamento.

    Mas pensando em tantos problemas que existem atualmente, realmente desanima.

    Porém os argumentos a favor também são convincentes. E creio que o maior deles é ter família. Não ficar sozinho no mundo, ter alguém que te ame de verdade. Porque cônjuge é um amor diferente. Mas filho, é outra coisa, é uma parte de você.

    Sempre há a opção de adotar também.

    Bom, cada um tem que pensar bem, pedir conselho aos mais sábios.

    Porque é um pensamento que se levado à escala máxima (hipoteticamente) não haveria mais pessoas no mundo.

    É uma discussão interessante

    Um abraço colega

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá DdP,

      Por causa de pessoas irresponsáveis que existem muitas crianças para adoção. Se a pessoa não tem condições de criar é melhor nem ter. Claro que a outros motivos para a existência de crianças em orfanatos.

      É melhor ter menos pessoas no mundo que sofram menos, do que adianta ter muitas, sendo que uma grande parte nasceu para sofrer.

      Abraços.

      Excluir
  7. Buenas, Cowboy! "Se eu sei que eu tenho uma doença que é hereditária e que se eu tiver algum filho ele vai sofrer com isso. Por que colocar um indivíduo no mundo para sofrer?" Na minha opinião, a resposta está com a própria pessoa... ela preferia não ter nascido? Nada da existência dela valeu a pena para compensar a doença herdada?

    Abraço e sucesso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá IpV,

      Claro que a maioria preferia ter nascido, mas agora colocar um filho no mundo para sofrer eu não acho certo.

      Abraços.

      Excluir
  8. Olá Cowboy.

    Pelo que compreendi o tema central do seu texto é uma crítica a pessoas que tem conhecimento de que problemas genéticos poderão afetar seus futuros filhos.

    Quanto a isso entendo sua posição e tendo a concordar.

    Mas confesso que fiquei com a impressão que você queria estender a crítica mais além dessa questão.

    Estou certo?

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Alemão,

      Sim, concordo com você. Só que o pessoal levou para outro assunto nos comentários, mas mesmo assim gostei dos comentários.

      Abraços.

      Excluir
    2. Os comentários sempre são proveitosos. :)

      Excluir
  9. Cara, isso é muito pessoal e hoje a medicina está tão avançada que é possível você fazer um mapeamento genético e detectar mutações genéticas antes mesmo de engravidar. Apenas acho que é necessário um planejamento financeiro, pois colocar no mundo para a pobre criança passar necessidade não rola. Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá FB,

      Com a existência dessa tecnologia ajudou e muito a se proteger. Planejamento financeiro é essencial e também a maturidade conta muito.

      Abraços.

      Excluir
  10. Olá CI! Um tema bem polêmico mesmo e, a meu ver, não existirá a resposta certa, vai de cada um e depende muito do caso concreto.. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá AR,

      Sim, depende de cada um. O problema é que o próximo vai sofrer caso nasça com uma doença que vai atrapalha-lo durante a vida.

      Abraços.

      Excluir
  11. Esse negócio da possibilidade de ser doente não tem como rebater. Quero ter filhos um dia (o fator número um de destruição do patrimônio) mas enquanto penso que eles tem 0,1% de ter uma doença ou serem retardados adio este projeto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah,
      Apesar de que minha opinião é pautada na minha realidade onde não sou pai, sou tão contra o aborto quanto contra socialismo.

      Você é responsável por seu próprio filho e não deve matá-lo.

      Excluir
    2. Olá CF,

      Não gosto do socialismo e também sou contra o aborto.
      O problema é que muitos não se responsabilizam e acabam cuspindo filhos por aí para sofrer.

      Abraços.

      Excluir
  12. Eu, no ambiente em que nasci, preferia não ter existido, pai ausente e mãe que nunca conseguiu nada a mais do que um salário como servente de escola pública, tive má alimentação, não tive uma auto-estima desenvolvida positivamente, sempre era acusado como culpado pelas situações ruins que passávamos.

    Conseguindo me desenvolver aos poucos, mas estaria muito melhor se tivesse nascido em uma família estruturada, em razão disso tenho bom ânimo quanto fazer filhos daqui a um tempo, justamente pois terei o conhecimento necessário para estimulá-los a se auto desenvolverem cedo, se eles seguirem meus passos, bem antes dos trinta estarão na IF, bem diferente de eu que tenho que ficar pagando conta de parentes e sendo procurado quando precisam, eles terão meu suporte até andarem com as próprias pernas.

    Abraço do Norte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá RN,

      Eu concordo com seu comentário. Eu nasci em ambiente muito pobre também, mas tive a sorte de ter uma família estruturada, mas meus pais não tinham muitos conhecimentos para orientarmos nós direito. Então, eu e meus irmãos ralaram muito para chegar em um patamar razoável.

      Abraços.

      Excluir
    2. Olá, meus amigos!
      Gostaria de abordar também o lado contrário da coisa: os filhos que, mesmo tendo boas condições de criação e financeira, sofrem tanta influência externa que não absorvem essa criação como deveriam.
      Numa família onde os pais precisam trabalhar todo o dia pra manter a casa, a escola (muitas vezes doutrinadora) e os meios de comunicação/internet acabam por ocupar uma lacuna que pode ter efeitos catastróficos na formação do caráter de uma criança.
      Tenho um amigo próximo cuja filha, cercada de atividades para compensar a falta física dele, sequer o chama de pai, apenas pelo nome ou apelido... Vejo a frustração no olhar dele sempre que falamos sobre isso. Criamos filhos com o anseio de que sejam exatamente como gostaríamos que eles fossem, mas a realidade nem sempre é assim. Ter uma visão menos romântica da vida nos ajuda a antever os problemas, o que nos habilita a tomar decisões mais claras, sabendo dos riscos.
      Grande abraço a todos!

      Excluir
    3. Excelente comentário Anônimo.

      Hoje vejo muitas pessoas tentando compensar a ausência com presentes aos filhos.
      Eu não sei onde estava a cabeça de meu pai, eu e meus irmãos foram chamar meu pai de "pai" só depois quando chegamos a adolescência. Chamávamos por outro nome. Ele sequer nos ensinou a chamá-lo de pai. Aprendemos a chamar por vergonha de falar outro nome, pelo menos eu. Hoje todos chamamos de pai, mas foi complicado aprender isso, por mais que seja óbvio.

      Abraços.

      Excluir
  13. Se pensarmos racionalmente, não vale a pena ter relacionamentos longos, casar ou ter filhos. Dá trabalho, dá prejuízo, etc.

    Entretanto, não somos seres 100% racionais, pelo contrário, somos mais emocionais do que racionais. Os que tentam ser 100% racionais, geralmente amargam vidas infelizes.

    Portanto nem tudo precisa ou sequer pode ser calculado. Um pacote de fraldas pode custar caro, mas qual o valor de ganhar um sorriso do seu filho(a)? Para uns, pode não valer nada, para outros o valor é inestimável!

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá SM,

      É verdade se formos racionais não teremos mesmo. O filho pode ser bom ou ruim também, pois não só depende da criação. A sociedade influencia muito, mas vai de cada um. Muitos querem ter filhos e isso é bom.

      Abraços.

      Excluir
  14. Eu penso muito sobre esse assunto também, e atualmente não penso em ter filhos, talvez no futuro eu mude de idéia, mas hoje o plano é não ter.
    Acho muito complicado colocar alguém no mundo sem ter uma renda alta, não gosto de ver ninguém sofrendo, principalmente crianças e animais. Então não tenho coragem de por um filho no mundo enquanto nao tiver uma boa situação financeira, que me permita tranquilidade no longo prazo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anônimo.

      Também não gosto de ver gente e nem animais sofrendo. Por isso que acho essas pessoas egoístas que colocam filhos no mundo para sofrer.

      Abraços.

      Excluir
  15. Opa Cowboy, mas sua conclusão se baseia para os pais que possuem alta probabilidade de transmitir características negativas aos filhos ou em geral?

    Na primeira, eu concordo contigo. Mas na segunda, tenho ressalvas. Precisamos pensar na sobrevivência da cultura ocidental. Os muçulmanos vem aí rsrs

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá André,

      Baseio na primeira conclusão (alta probabilidade de nascer com doenças). Não sou a favor de não ter filhos. Quem quiser que tenha. Não podemos deixar as pessoas acabarem, mas temos que ter consciência em colocar filhos no mundo.

      Abraços.

      Excluir
  16. Ter filhos pensando que a vida será mais feliz ou completa pode ser um tiro no pé.
    Conheço muitas famílias com dois filhos onde os dois só causam problemas, por exemplo, dois usuários de drogas, e até famílias com mais filhos, tipo 3 ou 4, onde só um dá alguma alegria ou orgulho para os pais. Acho que a maioria das pessoas quer ter filhos por não segurar o instinto animal de perpetuação da espécie mesmo, algo muito forte no nível subconsciente, pois pelo lado racional tem muito mais fatores contra. E naturalmente muita gente não aguenta a pressão da sociedade e quer ser reconhecido como um vencedor por ter uma família constituída.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá SF,

      Excelente comentário. Nada garante que os filhos vão dar alegrias para os pais. Do jeito que o mundo está nem é melhor arriscar.

      Abraços.

      Excluir
  17. Vou fugir das polêmicas, só vou parabenizar pelo post !! rs

    ResponderExcluir
  18. Conheço um casal que teve um filho com deficiência. Aí, pensando neste filho tiveram a ideia de ter outro filho para que o mesmo cuidasse do irmão na ausência dos pais. Só que este segundo filho também está com problema de deficiência, veja só a situação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá UÓ,

      Triste demais essa situação. Esse casal não vai ter sossego. Cuidar de um já é difícil, imagine dois.

      Abraços.

      Excluir
  19. Sempre polêmico o assunto, mas esquecendo o lance genético que postou, que realmente pesa na decisão, eu nunca tive vontade de ter filhos, depois que ele veio não consigo entender como vivia sem ele! Filhos são a melhor coisa do mundo. Abraço e bons investimentos.

    ResponderExcluir
  20. Sou novo no blog! Primeiro post e me deparo com algo bom!

    Eu já quis ter filhos, mas desisti por completo. Vivo de aluguel, sou pobre... a criança sofreria DE GRAÇA! Um irmão, na mesma condição, fez uma filha... agora ele passa um perrengue atrás do outro e tenho pena dela.

    Por questões financeiras, o "NÃO TER" se tornou presente em minha vida:

    1. Não ter filhos.
    2. Não ter carro.
    3. Não ter roupas de grife.
    4. Não ter TV por assinatura.
    5. Não ter uma casa na cidade. E assim por diante...

    Abraços.

    ResponderExcluir